Mostra Audiovisual Encruzilhada de Imagens

cartaz_mostra (1)

Nasceu a Mostra Encruzilhada de Imagens!

Ela vem do desejo de ampliar os debates em torno da imagem dentro do Colóquio Discente do PPGCOM, da vontade de estabelecer trocas sobre os materiais audiovisuais e fotografias que têm mobilizado as pesquisas desenvolvidas no âmbito do programa em todas as linhas: Pragmáticas da Imagem, Processos Comunicativos e Práticas Sociais, e Textualidades Midiáticas.

A escolha de seu nome está fortemente amparada naquele que é o pilar do colóquio: congregar todas as linhas de pesquisas, estabelecer trocas e promover a convivência entre as alunas e alunos do PPGCOM. É um espaço para imaginação, para constante renovação e para as mais diversas conexões. Um lugar de encontro.

Partindo do mote do III Colóquio Discente Diálogos e Convergências: Comunicar, Educar, Insurgir, que abriga o nascimento da 1ª da Mostra Encruzilhada de Imagens, o esteio se dá pelos trabalhos enviados para apresentação. O gesto da curadoria parte assim, dos temas que norteiam as propostas dos resumos, para provocar e pensar as insurgências por meio da imagem.

Equipe
Aiano Bemfica
Alessandra Brito
Álvaro Andrade
Fábio Rodrigues
Fernanda Sanglard
Mariana Almeida
Tomyo Costa

Programação

Sessão Entradas e saídas da história

Este programa composto por sete peças audiovisuais parte do fato ocorrido no dia 20 de agosto de 2019, no Rio de Janeiro, onde um rapaz de 20 anos foi brutalmente morto por atiradores de elite, com direito a comemoração do atual governador do estado. Horrorizados com o fato, compomos um programa na busca de perspectivar mais do que o acontecimento em si, mas sobretudo a abordagem midiática. Intitulado “entradas e saídas da história”, a provocação aqui é sobre o peso e preço da história e os modos de (re)escrevê-la ou confrontá-la.

1 de outubro – 19h às 22h

Trecho 1 – 20 de agosto de 2019 (Jornal Nacional, 2019)

Black Man In A White World – Michael Kiwanuka (Londres, 2016, 3’33)
Direção: Hiro Murai
Sinopse: Clipe da canção “Um Homem negro em um mundo branco”. No filme, um rapaz dança numa rua tranquila de um subúrbio até um norte-americano, mas eis que algo acontece.

Retrato de  Marielle Franco (Quênia – Brasil, 2019, 1’57)
Direção: Ng’endo Mukii
Sinopse: Em agosto de 2019, a premiada diretora de cinema Ng’endo Mukii realizou em Nairóbi, capital do Quênia, seu país de origem, um workshop com jovens artistas para produção de um filme em homenagem à brasileira Marielle Franco, brutalmente assassinada em 14 de março de 2018. O curta faz parte de um projeto que celebra feministas negras e ativistas poderosas compartilhando sua mensagem e histórias entre países através da criação artística coletiva.

Retrato de Wangarī Maathai (Quênia – Brasil, 2019, 1’21)
Direção: N’gendo Mukii
Sinopse: O curta reverencia a queniana ativista de direitos humanos, ambientalista e feminista, ganhadora do Prêmio Nobel da Paz em 2004, resulta de oficina no Acervo da Laje, enquanto a cineasta N’gendo Mukii está presente em Salvador como residente do Programa de Residência Artística Vila Sul do Goethe-Institut. O filme foi realizado com jovens artistas e ativistas da Bahia.

Vozes da Resistência (Minas Gerais, 2018, 23’52)
Direção: Fernanda Sanglard e Victor Zaiden
Sinopse: Documentário construído a partir dos relatos dos depoimentos de resistentes políticos durante o regime militar no Brasil, o filme conta algumas daquelas muitas histórias que estiveram escondidas no subterrâneo da história oficial. O curta é uma produção da Comissão da Verdade em Minas Gerais e Vagalume Filmes.

Lígia (São Paulo, 2017, 5’)
Direção: Nuno Ramos
Sinopse:  No dia 31 de agosto de 2017, o site http://www.aarea.co, apresentou Lígia, trabalho inédito de Nuno Ramos. No vídeo, Nuno se apropria do Jornal Nacional e trabalha por dentro a edição que anunciou o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, exatamente um ano antes. O artista faz com que os apresentadores do jornal “cantem” a música “Lígia”, de Tom Jobim. A colagem audiovisual foi construída a partir das edições do Jornal relativas aos dias 16/3/2016 e 31/8/16. O vídeo foi ao ar diariamente ao longo do mês de setembro, coincidindo exatamente com o horário de transmissão do Jornal Nacional, respeitando inclusive os intervalos comerciais.

Bate-papo com o público com a participação de André Brasil, Fabio Rodrigues e Fernanda Sanglard

Sessão Aparecer do invisível

Este conjunto de imagens enfrentam o indizível, o invisível e sobretudo a condição de invisibilidade e silenciamento. Tratam-se aqui de modos de dar a ver e dar forma as dores, traumas e fazer pela linguagem exercícios de cura. Corpos que aparecem na imagem para interpelar os limites do nosso campo de visão e as convenções de representação. Do vídeo de uma campanha para financiamento de um disco da Jup do Bairro ao clipe da Beyoncé no Louvre, passando por uma entrevista absurdamente eloquente na demonstração de nossos pontos cegos enquanto espectadores, o programa aqui é marcado por aparições de invisíveis para subverter a condição de invisibilidade.

 4 de outubro – 14h às 16h

While I Write (São Paulo, 2016, 2’33)
Direção: Grada Kilomba
Sinopse: Enquanto eu escrevo é o primeiro rascunho de uma videoinstalação de três atos da artista Grada Kilomba, apresentada e encomendada pela 32ª Bienal de São Paulo 2016, no Brasil.

Sair do armário (São Paulo / Bahia, 2018, 5′)
Direção: Mari Pontes
Sinopse:  “Eu penso todo o tempo que se tivesse nascido muda, ou se tivesse mantido um juramento de silêncio toda minha vida, teria sofrido igual, e igualmente morreria. ” Audre Lorde.

Historiografia (Rio de Janeiro, 2017, 4′)
Direção: Amanda Pó
Sinopse: Quem escreveu a História, na qual homens são sempre protagonistas?

Sob o mesmo teto (Rio de Janeiro, 2017, 13’47
Direção: Coletivo Olho Vivo
Sinopse: Quantos corpos ocupam o mesmo espaço? Quantos espaços certos corpos podem ocupar? “Sob o mesmo teto” é um curta-metragem documental sobre a Casa Nem, um tempo-espaço de luta e empoderamento situado em um dos bairros mais famosos da “cidade maravilhosa”, a Lapa. Trans-correndo pelas histórias dos sujeitos que ali residem, o filme fala sobre dores, afetos e alegrias. Sobre trans-sujeitos que (r)existem e transbordam aquelas paredes.

 

O que é o corpo? Programa Transmissão (Canal Brasil, 2019, 2’56)
Direção: Claudia Priscila e Kiko Goifman
Sinopse: O programa TRANSmissão apresentado por Jup do Bairro e Linn da Quebrada traz em questão sobre o que é o corpo, como a sociedade enxerga e as consequências disso.

APESHIT – THE CARTERS (Estados Unidos, 2018, 6’05)
Direção: Ricky Saiz
Sinopse: “Não acredito que conseguimos (isso é o que conseguimos, conseguimos) | É por isso que somos gratos (por isso somos gratos, gratos) | Não acredito que conseguimos (é um ponto de vista diferente)”

Bate-papo com o público com a participação de Alessandra Brito e Túlio Pagnan.

 

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close